24 de ago de 2011

Posso colocar suspensão a Ar no meu carro?









Posso colocar  suspensão a ar no meu carro?

Sim, qualquer tipo de veículo pode receber um kit de suspensão a ar, salvo algumas excessões, como carros que possuem suspensão c/ barras de torção. Mas mesmo assim, o kit pode ser adaptado, porém, o mecanismo de funcionamento da suspensão terá de ser alterado. 
Como funciona o sistema da suspensão a ar ?
Funciona através de bolsas de ar que são colocadas no local das molas originais do carro. Estas bolsas podem ser infladas (levantando o carro) e serem murchas (rebaixando o carro). Cada bolsa de ar é assistida por um par de solenóides (válvulas) que controlam a entrada e saída de ar das bolsas.
No interior do carro, botões comandam os movimentos e manômetros indicam a pressão de ar de cada bolsa. 

Com o carro em movimento a suspensão a ar pode ser acionada ?
Sim, com o carro em movimento a suspensão a ar pode ser acionada. Muitas pessoas tem esta dúvida e pensam que a suspensão a ar só pode ser acionada quando o veículo estiver parado. Mas não, a qualquer momento (parado ou andando) a suspensão pode ser elevada ou rebaixada sem qualquer tipo de problema.
                                                                                                                                      
Há risco da bolsa estourar? Qual a durabilidade da bolsa? O carro fica mais duro?
Bom inicialmente há risco da bolsa estourar sim. Mas calma a mola do seu carro também pode quebrar... mas é algo muito difícil ocorrer, desde que você tome alguns cuidados: como fazer manutenções periódicas no kit. Quanto a durabilidade, vai variar muito da utilização, clima, tipo de carro e tipo de suspensão, mas normalmente um kit de suspensão a ar dura anos. Em relação a maciez, ela pode ser controlada inflando ou murchando as bolsas, porém, os amortecedores utilizados na suspensão a ar são cerca de 30% mais duros.


O carro pode saltar (pular) quando possui um kit de suspensão a ar?
Bom, alguns carros aqui no Brasil já estão pulando através da suspensão a ar. Mas isto vai depender dos produtos/acessórios que compõem o seu kit de suspensão. Basicamente para este feito, as válvulas solenóides e as mangueiras do kit deverão ser maiores, assim, a passagem de ar é elevada, consequentemente a pressão que vai para as bolsas também, levando o carro com maior rapidez e força.


Como recarregar o ar que o sistema utiliza?
O ar utilizado para o funcionamento da suspensão é armazenado em um ou mais cilindros geralmente instalados no porta-malas do veículo. A quantidade de ar para armazenamento varia de acordo com o tamanho do cilindro utilizado. Para regarrega-lo, basta utilizar um calibrador de pneus comum (aqueles de posto de gasolina) ou através de um compressor elétrico, vendido como acessório do kit de suspensão a ar.


Rebaixando o carro através da suspensão a ar ele ficará encostado no chão?
Liberando todo o ar das bolsas o carro ficará no limite máximo de rebaixamento. Este limite vai variar de carro para carro, pois cada um possui um tipo de suspensão e um tipo de chassi/bloco. Ou seja, alguns carros irão ficar mais próximo ao solo, outros nem tanto. Para fazer o seu carro encostar completamente no chão, algumas adaptações terão de ser feitas como: o eixo traseiro ser retrabalhado, a longarina ser cortada, os paralamas serem rebatidos e os amortecedores serem encurtados.


Qual é o custo da suspensão a ar?
Quanto aos valores da suspensão a ar, os sistemas auxiliares simples começam em cerca de R$900 enquanto os sistemas 100% a ar pode ir de R$1.600 a até R$6.000 reais para sistemas mais sofisticados. Acessórios como controle remoto e compressor elétrico, são geralmente vendidos a parte e custam cerca de R$ 200 e R$ 1.000 reais respectivamente. 




carros socados, golf socado



23 de ago de 2011

Esportivos Brasileiros - Fiat







Carro turbo no Brasil é com a Fiat. O primeiro deles foi o Uno Turbo, em 1994, que trazia um motor 1.4 8V turbinado (também importado da Itália, como o T-Jet) de 118 cv e 17,5 kgfm de torque. Ia de 0 a 100 km/h em 9,2 segundos e chegava a 195 km/h, de acordo com a Fiat.



Ainda em 1994, chegava o Tempra Turbo (mas já como linha 95). Tinha motor 2.0 8V com turbo Garrett (0,8 kg de pressão) e gerava 165 cv e 26,5 kgfm. Segundo a Fiat, o motor 8V (já havia o Tempra 16V na época) dava conta do recado: fazia 220 km/h de máxima e 0 a 100 km/h em 8,2 segundos.

Por fim, em 1999, chegava o Marea Turbo. Sob o capô, trazia um 2.0 20V de cinco cilindros, 182 cv e 27 kgfm. Em nossos testes, chegou a 227 km/h e deixou os 100 km/h para trás em apenas 7,3 segundos.


Saveiro G3 - DoisCincoDois